Heterônimo: O que isso significa na literatura? Veja quais escritores usaram

Você já provavelmente ouviu ou leu por aí sobre heterônimos. Quando falamos sobre Fernando Pessoa, por exemplo, é tudo o que as pessoas sabem dizer: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos, mas, afinal de contas, o que significa heterônimo?



No sentido literal, “um nome diferente”. O heterônimo, este nome fictício, é uma maneira encontrada por escritores para que possam escrever obras usando um estilo completamente diferente do que ele usaria usualmente.

Diferença entre pseudônimo e heterônimo

Se o pseudônimo também é um nome fictício, o que separa o pseudônimo do heterônimo?

A diferença é bastante simples: o pseudônimo é apenas um nome de mentirinha, diferente do original do autor. Isso aconteceu com a J. K. Rowling, que na verdade se chama Joanne, mas, na época de publicação de Harry Potter, pediram que ela disfarçasse seu primeiro nome. Isso porque, para o pensamento da época, uma mulher escrevendo livros de fantasia não passava muita credibilidade.

Anos depois, a própria autora, já consagrada, usou novamente de pseudônimo: Robert Galbraith. A autoria gostaria de escrever uma história que não pertencesse ao universo de Harry Potter e nem juvenil. O Chamado do Cuco seria uma história policial, então ela quis testar a reação do público sem saber que ela era ela mesma.

No caso do heterônimo, o autor não muda apenas o foco da história, o público alvo. A mudança acontece no estilo de escrever, na visão de mundo passada pelo escritor. Em resumo, o heterônimo é quase como uma outra personalidade do mesmo autor. Não apenas um nome falso.

3 escritores que usaram heterônimos

 FERNANDO PESSOA

Imagem de Fernando Pessoa. O autor ficou famoso por heterônimos .Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos: estes são alguns dos mais famosos heterônimos do poeta português Fernando Pessoa. Ele os criou justamente para poder utilizar estilos diferentes, em livros diferentes. É interessante notar: muitos autores usam do recurso por questões comerciais (seria estranho se o Stephen King, de repente, começasse a escrever romances gospel, por exemplo), mas, ele, como poeta, pôde aproveitar muitos estilos por conta de seus alter egos.

MEG CABOT

Autor Meg Cabot, que usava o heterônimo de Patricia CabotA autora americana é focada em livros adolescentes sobre  americana de livros famosos como A Mediadora e O Diário de Princesa. Ela também utilizou os heterônimos. No início da sua carreira, por exemplo, ela começou com um romance histórico chamado A Rosa do Inverno, assinando o livro como Patricia Cabot. Atualmente, no entanto, ela escreve apenas utilizando seu nome verdadeiro.

 



LEMONY SNICKET

Foto de Daniel Handler, de terno e sorrindo. O autor usa o heterônimo de Lemonny Snicket quando escreve os livros Desventuras em Série

O famoso escritor americano já teve sua obra Desventuras em Série adaptado para o cinema e recentemente para um seriado da Netflix. O que muitas pessoas não sabem, entretanto, é que Lemony Snicket é um heterônimo de Daniel Handler, que além de escritor, também é músico e jornalista. Aqui no Brasil, Daniel é conhecido pelo livro E Por Isso a Gente Acabou.