Modernismo primeira fase: resumo, características, contexto, principais autores e obras

Para entender o modernismo primeira fase, você precisa saber que essa foi uma época de ruptura artística. Este movimento teve três frases e, se você quiser saber tudo sobre a primeira fase do modernismo, veio no lugar certo! Veja o vídeo e depois confira nosso post com um resumo.

Resumo e características da primeira fase modernista

Como você já viu aqui, a semana de 22 marcou o início da primeira fase do modernismo.  A primeira geração modernista é chamada de “fase heróica”, e vai até o ano de 1930.

Os escritores e artistas dessa fase queriam transformar toda a literatura e arte que vinham fazendo. Moderno e novo são as palavras-chaves para essa época.



Características do modernismo primeira fase

– Ruptura com a gramática;

– Proximidade com a linguagem oral;

-Gírias;

– Arte mais brasileira e próxima da realidade;

– Sátira;

– Humor.

Contexto Histórico da Primeira Fase do Modernismo

abapuru, obra do modernismo primeira faseO movimento modernista aconteceu no século XX, e no Brasil ainda estava em alta a Elite do Café com Leite. Ou seja, o poder se alternava entre os políticos de São Paulo (estado que produzia o café) e os políticos de Minas Gerais (estado que produzia o leite).

Até então, a arte que existia aqui era inspirada nas coisas da Europa, tudo com um toque clássico. Foi então que surgiu os artista do Modernismo, que vinham com experiências da Europa, pois muitos estudaram lá, mas querendo fazer algo diferente no Brasil, uma arte mais brasileira.

Poesia e Prosa na Primeira Fase do Modernismo

A poesia desse movimento quebrou padrões. Nada de rima, métrica, nem linguagem formal! Os maiores poetas da primeira fase do modernismo são Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Raul Bopp, Manuel Bandeira e Menotti Del Picchia.



EXEMPLO

Pronominais (Oswald de Andrade)

Dê-me um cigarro

Diz a gramática

Do professor e do aluno

E do mulato sabido

Mas o bom negro e o bom branco

Da Nação Brasileira

Dizem todos os dias

Deixa disso camarada

Me dá um cigarro

 

Mas também havia prosa, e dois livros se destacaram nessa época :

Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade. Com capítulos curtos e rápidos, era uma arte que “acontece aqui e agora”, sem seguir os padrões impostos anteriormente.

Macunaína, de Mário de Andrade. Livro que retrata o nacionalismo através do índio. Porém, o índio como anti-herói, feio e preguiçoso.