Browse By

Poema O Teu Riso de Pablo Neruda – Poesia completa e análise

O poema o teu riso é uma obra criada pelo poeta Pablo Neruda, considerado um dos mais importantes autores da língua castelhana do século. Suas obras poéticas sempre falam sobre o amor e nesse caso temos um grande exemplo de uma de suas declarações em forma de poesia.


Poema O Teu Riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas
não me tires o teu riso.Não me tires a rosa,
a flor de espiga que desfias,
a água que de súbito
jorra na tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.A minha luta é dura e regresso
por vezes com os olhos
cansados de terem visto
a terra que não muda,
mas quando o teu riso entra
sobe ao céu à minha procura
e abre-me todas
as portas da vida.Meu amor, na hora
mais obscura desfia
o teu riso, e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso será para as minhas mãos
como uma espada fresca.Perto do mar no outono,
o teu riso deve erguer
a sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero o teu riso como
a flor que eu esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
curvas da ilha,
ri-te deste rapaz
desajeitado que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando os meus passos se forem,
quando os meus passos voltarem,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas o teu riso nunca
porque sem ele morreria.

Livro “20 Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada” de Pablo Neruda

Análise do poema O Teu Riso de Pablo Neruda

Foto de Pablo Neruda, autor do poema o teu risoToda a poesia do autor chileno tem o amor como uma temática bem forte. No caso deste poema (O Teu Riso) não é muito diferente.

O poema, em forma de súplica, implora à mulher amada que esteja sempre por perto. A necessidade de tê-la por perto supera, inclusive, necessidades básicas, como vemos logo no início:

 

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas
não me tires o teu riso.

 




Esse amor, tão intenso, é mais importante do que comer e respirar.

VEJA TAMBÉM:

Outro fator bastante importante para a obra de Pablo Neruda são os elementos da natureza (especialmente o mar, um dos seus grandes amores). Podemos perceber isso em momentos em que ele funde sua declaração de amor a elementos naturais, algo típico da literatura romântica:

Perto do mar no outono,
o teu riso deve erguer
a sua cascata de espuma,

No fim do poema, depois de deixar exemplificar e deixar bem claro o quanto o sorriso desta pessoa é importante para o eu lírico, repetimos a súplica inicial de manter o sorriso por perto e ele tira qualquer dúvida sobre a intensidade dessa necessidade.

nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas o teu riso nunca
porque sem ele morreria.